ORAI SEM CESSAR!

terça-feira, 31 de maio de 2011

MORTE EM PROMOÇÃO!








Um pacote de morte por favor.
Que tipo?
Forte.
Curto ou longo?
Longo.  
A vontade.
Me veja um litro de morte também.
Morte Pura?
Purinha.
Branca ou amarela?
Amarela.
Pronto segundo sua vontade.
Guarde o troco para onde vou não preciso de dinheiro.
Obrigado e até a morte.







Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito
Barcarena-Pa, 31/05/2011.

Rumo ao (Fim do) Matrimonio!



Não se incomodava com o vento forte;
Era um alazão grande e forte;
Conquistou sua companheira pela força;
Corria como o vento;
Se impunha pelo porte varonil;
Ninguém lhe fazia obstáculo;
Ao perceber que era o centro das atenções;
Tratou de conquistar outra fêmea jovem que lhe dava atenção;
E outras com o passar do tempo,...
Foram agregadas também a sua manada;
Mas um inimigo implacável foi se aproximando;
Lentamente lhe tirando terreno;
O tempo...
E ele não percebeu que já não tinha mais o garbo inicial;
E o fôlego diminuía gradativamente...
E quando menos esperava...
Um garanhão mais novo apareceu,...
Lhe tirou as fêmeas que tinham vindo atraz do que ele tinha,...
A força, a beleza, o porte,...
Perdeu as conquistas,...
Foi atrás da antiga companheira e nem ela lhe sobrou,...
Teve de reconhecer que estava velho e sozinho...
Quis tudo e perdeu tudo...
Não valorizou a companheira de sua mocidade,...
Perdeu para si mesmo...   
  



 
Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito
Barcarena-Pa, 31/05/2011.

A Cada Passo!


Ia desatinado e sem pressa;
Pois que adiantava escolher o caminho;
Se todos levavam a lugar algum;
O desespero já se apossava de meu coração;
Mas dentro de mim uma voz gritava alto;
Não sabia de onde vinha, mas vinha;
Talvez de um passado já esquecido;
Talvez de uma leitura já esquecida;
Não saberia dizer como a ouvia...
Mas estava lá...
Quando quis por fim a minha vida...
Ela não deixou, se rebelou dentro de mim;
Procurei um bar onde me entregar a bebida...
Mas de novo ela dizia não;
Conhecidos traficantes me sorriam...
Mas aquela voz que vinha do fundo da memória....
Me inspirava a olhar para outro lado;
Era uma luta constante,...
Queria parar, me entregar, não via solução,...
Mas não conseguia por fim ...
Uma lembrança começou a fluir em minha mente...
Do desespero da falência de minha história...
Fluiu da minha mais tenra infância,...
Palavras doces que estavam enterradas,...
De quando mina mãe amavelmente,...
Me conduzia a igreja, e ...
Agora sim, estava me lembrando de onde vinha...
A cada passo que dava o Espírito Santo;
Que conheci na minha infância me conduzia;
A evitar a desgraça e me trazia para mais perto d’Ele;
Então aquela voz interior, tinha Nome;
E me serviu de bussola para voltar...
E voltei para Cristo...   


Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito
Barcarena-Pa, 31/05/2011.

NÃO ME COMPREENDEM!


Ela estava triste e chorosa, pensava consigo mesma...
“-Meus pais não me entendem;
Eu sei me cuidar, não sou mais aquela menininha bobinha;
Meus amigos e amigas;
Fazem o que querem e seus pais nem ai;
Meu amigo da “NET” sim, ele me entende;
Sabe dar valor aos meus pensamentos;
Aos meus valores; me aconselha, me elogia, ...
Tantas palavras bonitas ele me diz...
Parece que nos conhecemos a séculos...
Sabe tudo que eu penso e me apóia em todas as coisas.
Estou pronta a entregar-me a ele se ele pedir...
Até me disse que se eu quiser ir conhecê-lo;
Me mandava o dinheiro,...
Mas eu vou sem pedir nada dele,...
Vou juntar e vou...
Só quero o endereço do meu amigo;
Quando meus pais souberem já estarei voltando,...
Se eu quiser voltar, se meu amigo quiser fico com ele...
Ai sim, serei feliz de verdade, e livre...”
E foi mesmo...
Foi recebida por seu amigo com todo carinho,...
Palavras carinhosas e confortadoras;...
Aprendeu a ser livre da influencia da família,...
Aprendeu a usar drogas;...
E hoje é escrava das drogas e ...
Se prostitui para pagar ao seu “amigo”...
Pela liberdade alcançada...
 E não voltou mais para casa...     

Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito
Barcarena-Pa, 31/05/2011.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Qual Seu Número?

 
No inicio era só 1;
Mas para que ele não vivesse triste e sozinho;
Veio mais 1;
Logo depois para melhorar veio 1 mais 1;
Mas esses não se entenderam e 1 eliminou 1;
E ficou -1;
Os primeiros 1+1 trouxeram outro +1;
E assim perpetuaram as espécies;
Os +1 se multiplicaram;
Os -1 se multiplicaram;
E é assim até hoje;
E depois da morte os céus recebem os +1;
E o inferno recebem os -1;
Para toda eternidade;
Os  de Cristo são +1;
Os outros -1;
Qual é seu número?



Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito
Barcarena-Pa, 30/05/2011.

domingo, 29 de maio de 2011

O DIABO NÃO EXISTE!



O diabo não existe;
É o que ele vive tentando provar para todos;
Porque a pessoa que nisso crê;
Fica despreparada para dele se defender.
O ser humano é ruim por natureza, diz ele;
A pessoa rouba por necessidade, diz ele;
Quando acontece um estupro;
É a vitima que normalmente provocou, diz ele;
Quando uma pessoa se vicia é porque;
Era mal compreendido e se refugiou das perseguições, diz ele;
Você não precisa de igreja, para que perder seu tempo;
Vá curtir a “vida”, passear, se divertir...
Deixe a igreja para quando você estiver velho;
E não tiver mais nada para fazer de bom, diz ele;
Se o diabo não existe, Deus também não existe, diz ele;
E ainda te faz um convite...
Morra sem Cristo e vá até o inferno para comprovar;
Terás a prova que ele existe sim,...
Mas ai será tarde demais para procurar a Cristo...


Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito

Barcarena-Pa, 29/05/2011.

sábado, 28 de maio de 2011

Seu Nome!

Peguei uma pétala de rosa e escrevi seu Nome;
Delicadamente para não machucá-la;
Segurei-a com as pontas dos dedos;
Escrevi com um estilete bem fino;
Mas quando olhei com atenção;
Eu tinha deixado minhas digitais;
Tinha inserido em sua superfície;
As minhas marcas pessoais;
E mesmo que tivesse utilizado o menor estilete;
Este marcou  os traços e rasgou a pele delicada;
Quando olho para dentro de mim;
Choro ao lembrar que aquele que foi rasgado;
Chicoteado, esbofeteado, cuspido;
Caluniado...
Aceitou tudo calado... por mim;
Meu nome estava escrito;
Em sangue naquela face;
Foi meu estilete de pecados;
Que rasgou aquela pele;
E Ele escreveu o meu nome também;
No livro da vida com o mesmo sangue;
Sangue derramado por mim...
Ele é minha “pétala de rosa”;
E muitas vezes eu pego o estilete de novo;
 
Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito
Barcarena-Pa, 27/05/2011.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

VIROU FUMAÇA!

  
A cada trago via a fumaça subindo;
Não se preocupava com mais nada;
Começou a ver imagens nas nuvens de fumaça;
Viu sua faculdade indo embora de malas nas mãos;
Se desfez com o vento;
Também subindo viu seu emprego perdido;
Se desfez com o vento;
Também viu sua mãe chorando lagrimas de sangue;
Se desfez com o vento;
Sua família destruída envolta naquela fumaça;
Se desfez com o vento;
Viu a prosperidade que se foi e virou história;
Se desfez com o vento;
A esposa e os filhos saindo pela porta para não mais voltar;
Se desfez com o vento;
Viu seus valores materiais e morais se destruindo caindo pelo ralo;
Se desfez com o vento;
Viu sua vida, ...
Viu sua morte,...
Se desfez com o vento;
Não viu mais nada,...
Se desfez com o vento;



Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito

Barcarena-Pa, 20/05/2011.

FILA!

Estava com problemas;
E em seu caminho encontrou um colega;
Que percebeu em seu semblante algo errado;
Que houve? Qual o problema?
Nada. Foi logo respondendo;
Uns pequenos contratempos.
O amigo lhe diz. Os tempos estão duros.
A vida esta difícil. Ainda mais para você desempregado;
Sei que tem doentes em casa. É, terrível tua situação...
E foi embora andando agora ainda pior;
Encontrou outro amigo que também viu sua tristeza;
Que houve?
Nada ta tudo bem, se apressou a responder....
E o amigo...
Ainda bem, gosto quando converso contigo;
Você é uma pessoa inteligente, honesta,
Sempre disposto a ajudar os outros;
Tem sempre uma boa palavra para falar;
E sei que se tem problemas vai confiar em Deus
Que sempre te amparou;
Sabemos que os problemas vem,
Mas são apenas para nos aperfeiçoar na arte de viver;
E ainda mais você, homem que não desiste;
Sei que tem doentes em sua casa;
Mas também sei que o Senhor
É poderoso para entrar contigo nessa peleja e;
Quando estiverem curados;
Ira dar grandes testemunhos do amor de Deus para contigo...
Jesus te ama e vai te dar a vitória...
Se precisar de mim é só chamar.
E seguiu seu caminho agora de cabeça erguida e confiante...
E agora...
Quem será o próximo da fila...
Você ... quais serão tuas palavras para teus amigos;
Palavras de conforto e confiança...
De animo e encorajamento...
Ou vai derrubar ainda mais fundo;
Quem já esta no fundo do poço?
A fila anda e você esta nela com tuas palavras de ...

   
  
Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito

Barcarena-Pa, 20/05/2011.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

GUETO!



O que foi que você disse?

Nada. Não senhor.
O que foi que você pensou?
Nada. Não senhor.
É assim que as coisas estão se encaminhando.
Se você é homem e um homem te paquerar;
Se você é mulher e uma mulher te cantar;
Você tem de calar a boca senão é homofobia;
Se você ler Romanos 1 da metade em diante;
Faça em silencio senão pode ser condenado;
Quando vemos filmes sobre a época do massacre dos judeus;
Ficamos a pensar se não estão tentando;
Trazer isto de volta aos nossos tempos maqueado por “direito”;
Se todos os desejos tem de ser protegidos;
Então o ladrão tem de ser protegido por que teve desejo de roubar;
O estuprador teve desejo de estuprar, o traficante teve desejo de traficar;
O pederasta, o pedófilo, vamos proteger a todos eles,
Porque se um comportamento não pode ser criticado,
Nenhum pode.
O “Valente” passeia tranquilamente pelo quintal de sua casa;
O “inimigo de nossas almas” se diverte ditando leis e;
Estabelecendo regras de comportamento,
Daqui a pouco se um homem se casar com uma mulher será preso;
Porque este tipo de casamento fere e ofende certo “tipo” de pessoas;
E essa minoria grita mais alto que a maioria;
Até quando manteremos essa mordaça em nossas bocas;
Calando o nosso grito;
O único grito que ouviremos daqui a pouco será o de;
Socorro, estão me trancando num “gueto”.
Desculpa, ai, ein. Se doeu, doeu.

Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito

Barcarena-Pa, 19/05/2011.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Boca do Mundo!



Era desagradável conversar com ele;
Cada vez que se aproximava;
Trazia um palavreado desconexo e;
Deveras imundo;
Eu podia ver as moscas através de sua boca aberta;
Via os vermes e larvas  se desenvolvendo;
Algumas já com asas tentando me alcançar;
Eu mantinha certa distancia para evitar o contato;
Mas ouvia com atenção fingida aquelas tolices;
Será que não percebia como sua boca imunda incomodava;
Palavras deturpadas e de duplo sentido;
As moscas voando dentro e fora de sua boca;
Tentando trazer fofocas de tudo e de todos;  
Mentiras envoltas em teias de aranha;
Fortemente defendidas como ovos de cascavel;
Sabia que era mentira mas ficava irritado se falavam isso;
Dizia ter visto, ter ouvido de fonte segura;
Tinha testemunhas que nunca tínhamos conhecido;
Fofocas, mentiras, trapaças;
Se alimentava de esterco e queria transmitir o mesmo;
E o pior; as vezes conseguia credito;
E a desgraça estava armada;
Amizades desfeitas;
Casamentos destruídos;
Relacionamentos rompidos;
Ate a morte estava a espreita ao seu redor;
Voava como abutre nutrindo de ardiz aquele individuo duo;
Que se dizia amigo de todos e queria o inferno de todos;
Eu olhava e ouvia mas protegido pelo escudo do Espírito;
Repreendia em meu ser aquela imundície;
Tentando aconselhar um individuo, mortal como aquele;
A mudar de vida, deixar de ser maldição e se tornar uma benção;
Mas ele se alimentava de seu veneno e não dava ouvidos a voz da verdade;
E seguia seu caminho a procura de vitimas desatentas;
Que pudesse envenenar...
Cuidado com os “Boca de Tumulo”!

Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito

Barcarena-Pa, 16/05/2011.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Casulo!







Estava  ali, refugiara-se em seu casulo;
esperando... sabia que algum dia chegaria a hora;
Não havia nenhuma abertura;
O ar entrava através dos poros da parede;
A escuridão cobria os outros sentidos;
Mas existia a esperança;
Lembrava-se dos tempos de lagarta;
Era comer e dormir;
Comer e dormir;
Sonhava que um dia as coisas mudariam;
Olhava as estrelas distantes, também olhava o sol;
Tudo fora de alcance;
Era comer e dormir;
Ate que um dia se refugiou em si mesma;
Escondeu-se para não viver mais aquela solidão;
Escondeu-se do desespero da falta de vida;
Os antigos lhe haviam revelado;
Que quando chegasse a hora tudo mudaria;
Estava na hora...
Tinha de ser agora...
Não podia esperar mais....
Então surgiu...
Um pequeno brilho de sol;
Sabia que seu corpo estava diferente...
As transformações interiores e exteriores tinham acontecido;
O que tinha acontecido?
Ainda não sabia do resultado;
Mas tinha se processado algo...
Aquele rasgo de sol foi crescendo e chamando para fora...
Tirou a cabeça e foi se acostumando lentamente a nova luz;
Luz do sol;
Luz da vida;
Da nova vida;
Saiu por completo e...
Aconteceu...
Viu o resultado da espera...
Viu a transformação....
Abriu as asas e voou e...
Nunca mais voltou....
Foi conhecer...
      

Ernesto Luis de Brito
Pastor Ernesto Luis de Brito

Barcarena-Pa, 09/05/2011.